Arquivo de Julho, 2007

Otakawa 2007

Otakawa 2007

Depois de ter sido adiado o evento Otakawa 2007, parece que desta é de vez (e do lado certo ;))! Irá realizar-se de 26 a 28 de Julho no Ponto de Encontro em Cacilhas e será constituído por diversas actividades dedicadas a promover o anime/manga, jogos e cultura japonesas.
Algumas das actividades previstas são:

1. Torneio de DDR (Dance Dance Revolution);
2. Torneio de Soul Calibur 3;
3. Concerto dos Tempura (dia 28);

O espaço do evento estará organizado em 3 áreas:
1. Bar, concertos e exposição – artistas interessados poderão na altura pedir para expor os seus desenhos;
2. Anfiteatro e cinema;
3. Stands e lojas – Jikai, Kingpin of Comics, Naraneko, Shoot to Kill, KZine entre outros;

Mas podem consultar muito mais informação no site oficial do evento que foi onde fui buscar esta.

Zombies em tempo real

Gosto de monstros e gosto de ver pessoas a desenhar. Foi, ao deambular pela enorme teia virtual que nos une, que encontrei este vídeo:

O autor do vídeo iniciou este projecto com o objectivo de ganhar uns trocados para suportar a sua família que, na altura, estava prestes a aumentar. Para tal achou que 150 monstros seriam mais que suficientes. Pois bem…a “coisa” teve tanto sucesso que ele continuou…e continuou…e, pelos vistos, ainda não parou.
Como funciona? Ele escolhe um tema, actualmente estamos na temática sempre simpática e agradável de ZOMBIES, a pessoa interessada em receber o famigerado Zombie envia-lhe um nome e ele, Len de seu nome, trata do resto. Depois pode-se optar por:

  1. desenho;
  2. desenho e vídeo;
  3. tudo e mais uma T-shirt.

Claro que para nós aqui no burgo…talvez saia um bocado para o carito mas…valem os vídeos ;)

Almiscaro e as memórias reprimidas

Almiscaro #5 - Memorias reprimidas

Ah pois é! Ele aí está de novo em mais uma aventura.

Podem dar uma vista de olhos ao episódio Almiscaro #5 – Memórias (quase) reprimidas no sítio do costume.

Agarrá-lo pelos cornos.

O quadro autêntico pode ser antigo, mas o pensamento autêntico é novo. É do presente. Este presente poderá ser pobre, sem dúvida. Mas seja ele como for, temos de o agarrar firmemente pelos cornos para sermos capazes de consultar o passado. Ele é o touro cujo sangue deve encher o poço se queremos que dele se ergam as sombras dos defuntos

por Shriften II, 314.